Outra vez arroz. Quando é que esse povo vai aprender.

Partilhar é ajudar!

[Total: 1   Average: 5/5]

Patrice Trovoada viveu em São Tomé 6 dos últimos 10 anos, e nesse tempo era o Primeiro Ministro. A história pode se repetir em 2022.

Patrice Trovoada foi novamente eleito presidente do partido ADI e prepara-se para as legislativas de 2022. Fomos analisar os comportamentos do então presidente do maior partido de oposição de São Tomé e príncipe nos últimos 10 anos, e chegamos a conclusão que esse povo não apreende.

Vamos aos factos:

  • Nas eleições legislativas de 2010, o partido Ação Democrática Independente ADI, conseguiu pela primeira vez ganhar uma eleição em São Tomé. A governação de Patrice Trovoada em 2010 foi um fracasso total tendo sido demitido do cargo de primeiro-ministro no início de 2012 pelo Presidente Manuel Pinto da Costa, na sequência de uma moção de censura, e abandonou o país.

“Fugiu” para o estrangeiro, deixando o seu partido órfão. De acordo com uma publicação no Tela Non em 2014, foi considerado o maior exilado político do mundo, depois de 25 de Abril.

  • Regressou ao país 16 meses depois para as eleições legislativas de 2014 onde ganhou com maioria absoluta. Governou o país 4 anos sem interrupções.

4 anos depois, nas eleições legislativas de 2018, o partido ADI venceu as eleições com maioria simples de 25 dos 55 deputados que compõem o parlamento, mas não conseguiu formar governo, uma vez que a sua proposta foi chumbada pela MLSTP, maior partido da oposição em São Tomé e Príncipe, e a coligação PCD-UDD-MDFM que formaram a nova maioria com 28 deputados.

E mais uma vez após perceber que não vai formar governo, Patrice Trovoada fugiu do país deixado mais uma vez o seu partido desamparado. Numa entrevista a lusa em Novembro de 2018, o ex Primeiro Ministro diz que não fugiu e que voltará ao país em breve, até hoje não voltou.

  • O líder do partido ADI, só precisa do povo pequeno no período das eleições. É o único líder político do mundo, que só vive no seu País quando está no poder.

Na sua biografia, diz que tem uma licenciatura em economia em França, iniciada na Roménia, mas não consta o nome da universidade que estudou. É empresário, mas não tem nenhuma empresa em São Tomé e Príncipe e, se tem no estrangeiro não é de conhecimento público.

O que faz Patrice Trovoada quando não está no poder?

Partilhar é ajudar!