Patrice Trovoada outra vez envolvido em fraudes eleitorais. Desta vez em Comores – Africa Central

Partilhar é ajudar!

[Total: 1   Average: 5/5]




Os 12 adversários do atual presidente de Comores, Azali Assoumani, no primeiro turno das eleições presidenciais deste país africano, realizadas neste domingo, denunciaram um “golpe de Estado” e convocaram o povo a “resistir” e a se “mobilizar” contra as fraudes.

“Nós, candidatos, declaramos ilegítimo o governo atual liderado pelo coronel Azali. Nós, candidatos, impugnamos a farsa destas eleições”, declarou à imprensa um dos postulantes à presidência, o coronel Soihili Mohamed, após uma reunião entre os 12 opositores em Moroni, capital deste arquipélago africano.

Patrice Trovoada foi escolhido para liderar uma missão da União Africana nestas eleições.

“Nós, candidatos (…) convocamos o povo a resistir e a se mobilizar contra a ignomínia”, acrescentou.




Desde a abertura das seções eleitorais neste país cercado pelo oceano Índico, a oposição denunciou graves irregularidades nas ilhas de Anyuan, majoritariamente hostil ao presidente, e Moheli.

Um dirigente da comissão eleitoral confirmou à AFP que uma dezena de colégios eleitorais foram saqueados em Anyuan.

Segundo a declaração dos 12 candidatos opositores, estas irregularidades constituem um “golpe de Estado (…) que tem o objetivo de calar a população (e impedir) que vá as urnas”.

Durante a campanha, Azali, um ex-golpista eleito em 2016, declarou que será reeleito no primeiro turno.

A oposição o acusou de querer cometer um “crime eleitoral”.

Partilhar é ajudar!